Sonhos

Por Joyce Eliza em 20 de novembro, 2016

Na minha imaginação, em algum lugar na imensidão do universo, deve existir um simpático velhinho ao qual foi designada a especial tarefa de proteger e guardar os sonhos dos humanos, para que possam surgir livres e serem realizados algum dia. Então, quando são formados em nossos corações, chegam aos ouvidos do guardião em forma de sussurros e ele os mantêm em segredo e proteção eternos.

Eu tenho muitos sonhos, pequenos, grandes, fáceis e mais complexos. Vivem em sintonia com as minhas emoções e à medida que a vida vai seguindo podem surgir tantos outros. Talvez alguns mudem um pouco de forma no decorrer do caminho, mas estão sempre logo ali, virando a esquina dos meus desejos. Sonhar é o que me mantém viva; é o que renova meu fôlego e me dá a alegria que preciso para viver.

Aprendi com meu pai que nenhum sonho é impossível e que basta manter o foco e a perseverança para se tornarem de fato parte da nossa realidade. Em teoria me pareceu uma ideia simples, mas o que aprendi com a vida é que não é tão simples assim. Acho que meu pai sempre quis me mostrar somente o lado bom de tudo. ♥

Talvez a parte mais complicada, seja quando chega aquele momento em que queremos dividir os nossos sonhos com as pessoas que amamos. Mas como acabei de dizer, são os “nossos sonhos” e isso significa que são de fato muito particulares. O que desejamos para nós pode não ser exatamente o que os outros desejam para si.

Entendi então que a realização da maioria dos sonhos dependem de nós, única e exclusivamente. Querer inserir outras pessoas nele só pode ser possível se essas mesmas pessoas assim o quiserem. Do contrário, devemos seguir adiante e trilhar uma jornada um tanto solitária e que pode significar ter que deixar para trás situações ou pessoas por vezes muito queridas. E dói. Muito.

Nessas situações cruciais da vida, o que me guia é o meu coração. A conexão comigo mesma. Um caminho que não falha porque é genuíno, alinhado; é onde está escrito o que deveria ser. Então, em algum encontro casual com a natureza, seja numa caminhada passando por um jardim ou na contemplação à confidente amiga Lua, deixo fluir tudo o que guardei dentro de mim, me libertando do que um dia machucou o meu coração. É como se abrisse a gaiola dos grilos e os fizesse voltar à natureza. Me harmonizo novamente, me reconecto. Aí sim, tudo passa… pronta pra outra! Next!

Outras coisas que muito provavelmente virão ao nosso encontro são as interferências negativas que parecem escolher os sonhos mais lindos que colecionamos. Isso pode acontecer por uma infinidade de motivos ou de pessoas (sinto muito mas o guardião dos sonhos não poderá fazer nada por você aqui!). O mais engraçado (ou nem tanto), é que as influências mais tóxicas podem vir das pessoas que mais amamos. São críticas, achismos, acusações tão duros e significativos que podem nos fazer render e acabar matando aquele (ou aqueles) sonhos lindos…

Gostaria de te dizer que não acredite em nada que te faça duvidar que é capaz. Um sonho é algo mágico que nasce do coração e do nosso desejo de ser e pertencer ao mundo; que cresce em outras dimensões até se tornar algo real e palpável. Acredite, persista no pensamento firme, que ele encontrará o caminho para chegar até você. Seja corajoso e gentil e muitas portas se abrirão por onde passar.

Tudo o que fazemos com amor só pode resultar em mais amor.

Então persiga o seu sonho e ponha um sorriso nos lábios do bom velhinho que o guardou e protegeu em segredo. Quando você finalmente realizar o seu sonho, um sussurro chegará até ele e revelará a boa nova.

Deixe seu comentário