Pequenos seres em evolução

Por Joyce Eliza em 27 de novembro, 2016

A cada dia aprendo algo novo.

Muitas vezes algo que já me foi apresentado antes mas que naquele determinado dia, pude finalmente compreender.

Aprendo que somos tão teimosos e persistentes em nossos erros que muitas vezes nos cegamos. Defendemos com unhas e dentes um achismo imaturo, defeituoso…
O desprendimento é difícil; por isso o verdadeiro aprendizado e as mudanças na nossa forma de ser podem muitas vezes, tomar uma existência inteira.

Dizemos sempre aquela famosa frase: “Eu sou assim mesmo” e fica tudo bem! Varremos para debaixo do tapete todas as nossas imperfeições como se ninguém estivesse vendo, mas que nossa consciência grita: “Não diga isso! Mude, melhore, evolua!”.
Não é fácil mudar. Não é fácil admitirmos para nós mesmos que estamos agindo errado. É muito mais fácil culpar o mundo pelas nossas reações. Culpamos as pessoas, culpamos as situações, culpamos a vida. Nunca seremos nós os culpados e assim seguimos “sendo assim mesmo”.

Chega uma hora porém que a vida, sábia como ela é, dá aquele check-mate na gente e acordamos num susto! Choramos enfim, e sentidos com as nossas próprias incoerências, finalmente entendemos que erramos e que “É verdade, eu preciso mudar!”.
Aprendi que para que esse aprendizado não seja sempre na base da dor, precisamos incorporar um sentimento muito importante: a humildade.

É difícil sermos humildes? Sim, e muito!
Precisamos passar por cima do ego, nosso maior sabotador. É quem sempre dita as regras e nos faz erroneamente pensar que temos razão e que estamos certos, mesmo estando muito errados. É na base do ego que fazemos as piores escolhas fazendo sofrer as pessoas ao nosso redor e posteriormente, à nós mesmos.

Mas quando em algum momento da nossa caminhada, a humildade nos acolhe e entendemos que precisamos nos melhorar, ahhhh… Como tudo muda. Como a vida se torna mais doce e gentil. Como é linda a sensação de termos feito algo à favor do bem e do amor. Como é libertador sermos humildes e entendermos que na verdade erramos. Um sentimento de paz indescritível toma conta do nosso ser. É lindo de ver, de sentir.

Meus queridos, sejamos mais humildes e caminhemos em direção à nossa evolução. Podemos dar um passo de cada vez, não precisamos abraçar o mundo.
As verdadeiras mudanças acontecem de dentro. São graduais e levam tempo para serem significativas, porque chegam à raiz do problema, não sendo superficiais, camuflando defeitos.

Somos pequeninos seres, que nada sabemos ainda. Não podemos imaginar tudo o que há nos inúmeros universos que somos.
Temos muito pela frente!

Reflitamos: se estamos na escola terra, num planeta tão materializado é porque somos muito imperfeitos. Somos apenas brotos, começando à sair da escuridão e ver a luz do sol, da consciência.

Repense o ser assim mesmo e sinta a diferença que mudanças positivas podem fazer na sua vida e na sua história de evolução.

Deixe seu comentário